alimentação saudável

Programação metabólica: alimentação da mãe é decisiva para saúde do indivíduo

A alimentação e nutrição materna exercem grande impacto desde a fertilização até a formação de um indivíduo saudável. Isso é chamado, na área de saúde,de programação metabólica. A expressão indica que tudo o que ocorre na vida intra uterina do ser humano,ou durante o período de lactação, vai causar algum tipo de interferência na vida adulta. “O estado nutricional antes e durante a gravidez é decisivo para a mãe e para o bebê, determinando bem-estar e qualidade de vida a ambos, como a prevenção de doenças crônicas não transmissíveis. Pode influenciar, inclusive, na capacidade reprodutiva da mulher para outras gerações”, afirma a nutricionista Vanessa Bulcão. Segundo ela, uma série de doenças apresentadas por um adulto pode ter sido “programada” durante a concepção e gestação.

vanessa bulcao 1vanessa bulcaoNo decorrer da gestação, são registradas inúmeras alterações orgânicas, com repercussões funcionais,metabólicas, físicas, emocionais, comportamentais e alimentares. Todas elas são extremamente necessárias para que o organismo da mulher consiga regular sua atividade, garantindo um adequado resultado gestacional. Essas mudanças, no entanto,são acompanhadas por necessidades nutricionais específicas, a depender da fase gestacional em que a mulher se encontra. O acompanhamento de um nutricionista capacitado nesse período fará toda a diferença na saúde e equilíbrio futuro do bebê e da mãe.

Próximas gerações – A má alimentação causa uma verdadeira bola de neve. Os desequilíbrios nutricionais que ela provoca podem comprometer o desenvolvimento e qualidade de vida das próximas gerações. “Estamos nos alimentando cada vez mais, e nos nutrindo cada vez menos. E são vários os motivos que fazem com que estejamos cada vez mais desnutridos, como o esgotamento do solo, a contaminação por poluentes ambientais, como os agrotóxicos, fungicidas e metais pesados. Também podemos citar os alimentos colhidos ainda verdes, o inadequado armazenamento dos alimentos colhidos e o tipo de cocção inadequada”, explica a nutricionista. Ela acrescenta que o indivíduo é feito de nutrientes e que cada nutriente desempenha papel crucial na sua formação.

Cultura nutricional – A nutricionista Vanessa Bulcão afirma que, além do desequilíbrio nutricional,a sociedade vive uma fase de muitos casos de infertilidade feminina e masculina, assim como do número de abortos espontâneos, partos prematuros e crianças que nascem alérgicas. “Não existindo uma cultura nutricional adequada sobre a importância da mãe se preparar para o momento da gestação.Normalmente a mulher ignora sua importância para o sucesso da concepção, da fertilidade e para a proteção ao recém-nascido frente ao risco de má formação congênita. O desenvolvimento do estado nutricional adequado na gestação vai auxiliar na prevenção de doenças crônicas não transmissíveis pelo resto da vida do bebê”,conta a profissional.

Dupla contribuição – “Ao pensar em gerar um filho, serão necessários 50% de contribuição da mãe e 50% do pai. A somatória desse óvulo com o espermatozóide vai determinar a formação do bebê.Quanto mais saudável e equilibrado nutricionalmente os dois estiverem, aumenta a hipótese de formar um bebê saudável”, explica a nutricionista. Segundo ela,tudo o que pode ser feito, por ambas as partes, para melhorar a fertilidade, será crucial para o aumento das chances de engravidar, para a manutenção da gestação tranquila e, principalmente, para que o bebê nasça com saúde.

Ler 59 vezes Última modificação em Sexta, 13 Dezembro 2019 04:34

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.